Quarta-feira, 30 de Dezembro de 2009

Para todos os que amo...

 

 

   

Para todos os que amo.
Para aqueles que desejava que me amassem.
Para os que me amaram e me esqueceram.
Para os que ainda me amam e eu, afinal, esqueci.

Para todos a quem o Amor é algo tão importante como o sal da vida
como o ar que respiram
como o mar que galga pontes.

Para todos os que amo e não esqueci.
que vivem na minha alma
como criança no berço da sua meninice.

A todos que são afinal,

os que vivem comigo
a Dança das Palavras,
da Vida,
do Amor,
dos desencontros,
dos encontros que
não existiram.
 
 
 

 

(desligar p.f. a música de fundo para ouvir o vídeo)

  

(Poema escrito originalmente no FB)
tags: ,
publicado por Menina Marota às 13:00
| comentar | Acompanhe-me
|

Sensibilidades...

Regresso

uma parte de mim

Sentidos

Bom Dia!

Sereinement...

Voláteis gaivotas

A hora do encanto...

Ouro negro

Amanheço-me

Poema sem nome

Pés na Areia

Reciclagem

Fragile

Sons diáfanos...

O vento da utopia

Momentos meus...

Rota da vida

Vida

O vento e o tempo.

Talvez

Bom Dia!

Sons do vento

Dizem

Olhos de Vida

Sentires

Oceano dos sentidos

Dádivas de amor

Sentires...

Da minha janela

Bom dia...

Almas Pretéritas

A minha alma anda aqui...