Quinta-feira, 19 de Agosto de 2010

Natureza

 
Fotografia de Gisele Bndchen

 

 

Ó espírito de inquietos e cândidos sonhos
que buscas na intemperança e volúpia do desejo
o calor da alma pressentida no júbilo da razão.

 


Deitas-te na terra húmida entre musgo verde

e adormeces na tempestade que o céu serenou.

 


Na terra orvalhada em chão de prata
onde o amor lavra e a chuva perdura

em palavras amenas que o coração dita
embarcas no sonho e na magia

que a neve da frieza em rocha dura não matou.


Não iludas o que aprouvera dos teus sonhos.

 

Falsa a magia do momento.

Na natureza nunca nasce a mesma água de parecida fonte.

 

 

(9.Nov.2008)

tags:
publicado por Menina Marota às 19:30
| comentar | Acompanhe-me
|

Sensibilidades...

Regresso

uma parte de mim

Sentidos

Bom Dia!

Sereinement...

Voláteis gaivotas

A hora do encanto...

Ouro negro

Amanheço-me

Poema sem nome

Pés na Areia

Reciclagem

Fragile

Sons diáfanos...

O vento da utopia

Momentos meus...

Rota da vida

Vida

O vento e o tempo.

Talvez

Bom Dia!

Sons do vento

Dizem

Olhos de Vida

Sentires

Oceano dos sentidos

Dádivas de amor

Sentires...

Da minha janela

Bom dia...

Almas Pretéritas

A minha alma anda aqui...