Segunda-feira, 30 de Agosto de 2010

Olhos de chuva

 (Imagem de Andrew Sankey)

 

 

 Quando em mim

o céu se faz nuvem

o mar

voz dos barcos que partem do cais

 

e as estrelas do firmamento

velas flutuando

ao sabor das marés

 

meus olhos

são chuva miudinha

que cai

embalando as ondas

 uma a uma

 na praia dos meus sonhos

e se espraiam a meu pés.

 

 

tags:
publicado por Menina Marota às 23:45
| comentar | Acompanhe-me
|
:
De lobices a 31 de Agosto de 2010 às 17:14
...Parabéns Tilita :)
...beijinho
De Menina Marota a 31 de Agosto de 2010 às 17:17
Obrigada, Quim Lobices!
Bjinho :-)
De zicacabral a 31 de Agosto de 2010 às 17:37

adorei maninha, um beijão grande.
De Menina Marota a 31 de Agosto de 2010 às 17:43

 que bom estares aqui,  maninha!
Olha... o Face andar com problemas fez nascer este Blogue... acabei por me "ocupar" com ele! :-)))

Beijinhos querida.
De elmanofilo a 31 de Agosto de 2010 às 18:50
Soberba a forma de abordar um tema sempre inspirador: o mar, a maresia, os múltiplos encantos d eNeptuno e suas ninfas..

Parabéns pela casa nova...
Jose Manuel Leiite de Sá
De Menina Marota a 31 de Agosto de 2010 às 20:38

Obrigada, José Manuel.
Espero que volte...
De António a 7 de Janeiro de 2013 às 12:04
Belíssimo poema, parabéns!

Comentar

Sensibilidades...

Regresso

uma parte de mim

Sentidos

Bom Dia!

Sereinement...

Voláteis gaivotas

A hora do encanto...

Ouro negro

Amanheço-me

Poema sem nome

Pés na Areia

Reciclagem

Fragile

Sons diáfanos...

O vento da utopia

Momentos meus...

Rota da vida

Vida

O vento e o tempo.

Talvez

Bom Dia!

Sons do vento

Dizem

Olhos de Vida

Sentires

Oceano dos sentidos

Dádivas de amor

Sentires...

Da minha janela

Bom dia...

Almas Pretéritas

A minha alma anda aqui...