Domingo, 20 de Novembro de 2011

Sentires...

Steve Hanks

 

Olho-te como se fosses uma estrela;
um arco-íris a colorir a frieza
dos sentimentos de um deserto sem oásis
de um rio de seco leito.

Amo-te… como o mar ama
as ondas que através da espuma
a areia fina vem beijar.

Sinto-te… no último sentimento
que minha alma chora depois
da negrura de todos os outros
que dia a dia me assombraram.

Na paz do silêncio que a palavra sente
amo-te como se ama tudo o que passou
e que a nossa alma singela albergou.

publicado por Menina Marota às 20:30
| comentar | Acompanhe-me
|
:
De Abilio a 23 de Novembro de 2011 às 21:49
olá Menina .M.

Coisas que o tempo não apaga, no fundo da alma continua pedaços de esperança ,no amanhã.

Boa noite,

Tretas
De Visitante envergonhado a 6 de Dezembro de 2011 às 21:53

"Sinto-te ... no útimo sentimento."

Cada um lê à sua maneira ....
É essa uma das virtudes da sua poesia !


Martins

Comentar

Sensibilidades...

Regresso

uma parte de mim

Sentidos

Bom Dia!

Sereinement...

Voláteis gaivotas

A hora do encanto...

Ouro negro

Amanheço-me

Poema sem nome

Pés na Areia

Reciclagem

Fragile

Sons diáfanos...

O vento da utopia

Momentos meus...

Rota da vida

Vida

O vento e o tempo.

Talvez

Bom Dia!

Sons do vento

Dizem

Olhos de Vida

Sentires

Oceano dos sentidos

Dádivas de amor

Sentires...

Da minha janela

Bom dia...

Almas Pretéritas

A minha alma anda aqui...