Quinta-feira, 12 de Abril de 2012

Dizem


Fotografia de L.K.P.

 

"Dizem que as palavras não prendem, mas que envolvem, em cor e se misturam

no sentir; Dizem que uma palavra é um beijo, um afecto que traça

o destino;" (Almaro)
(Mote)

Dizem
o vento seca a flor colorida
o mar liberta o castelo qu’a criança
construiu.

as lágrimas secam
no rosto que
sorriu

a chuva
baila
entre a flor que
floriu

amizade,
esperança,
força que traz
bonança,
na beleza do olhar
que sinto dentro de ti

no beijo
que te deixo
há alento, o desejo
meu Amigo
neste olhar sentido, que
as flores te perfumem,
meus braços
te cinjam
nas palavras que se
pintam
em aguarelas de
cor!

Dizem
palavras
aladas
perpetuas
de amor.

publicado por Menina Marota às 15:27
| comentar | Acompanhe-me
|
:
De A.S. a 17 de Abril de 2012 às 20:52
Dizem... que se perseguem palavras aladas como murmúrios de amor!...


Abraço!
AL
De Menina Marota a 16 de Junho de 2012 às 12:07
Um abraço, AL e grata pela tua sempre tão amável presença.
Bom fim de semana :-)
De J.Amorim a 20 de Abril de 2012 às 17:19
Cada qual lê a poesia à sua maneira. Conforme o sentido que lhe dá. Ou o interesse que o move
De Menina Marota a 16 de Junho de 2012 às 12:05
Ler poesia não é comparável à leitura de um jornal ou revista cor de rosa.
Ler poesia é senti-la na alma, rever-se a cada letra no sentimento de quem a escreveu.
Saber interpretar poesia é ir ao fundo da alma do poeta e, através da própria sensibilidade, sentir a corrente do sentimento que gerou cada estrofe...

De José Amorim a 18 de Junho de 2012 às 18:33
Prezada poeta
o leitor pode, contudo, não se rever “a cada letra no sentimento de quem escreveu.” o poema.
Depende do sentido que ele próprio dê àquilo que leu.
Sem prejuízo da qualidade – que não discuto - penso que a sua poesia não é tão linear assim.
Quem escreve para o público tem que aceitar o juízo de cada um, independentemente do que pensa quem escreve.
J.Amorim

Comentar

Sensibilidades...

Regresso

uma parte de mim

Sentidos

Bom Dia!

Sereinement...

Voláteis gaivotas

A hora do encanto...

Ouro negro

Amanheço-me

Poema sem nome

Pés na Areia

Reciclagem

Fragile

Sons diáfanos...

O vento da utopia

Momentos meus...

Rota da vida

Vida

O vento e o tempo.

Talvez

Bom Dia!

Sons do vento

Dizem

Olhos de Vida

Sentires

Oceano dos sentidos

Dádivas de amor

Sentires...

Da minha janela

Bom dia...

Almas Pretéritas

A minha alma anda aqui...