Sexta-feira, 16 de Agosto de 2013

Amanheço-me

Amanheceu chuvoso como se o planeta chorasse todas as incompreensões do mundo…   

Pintura de Francine Van Hove

  Pintura de Francine Van Hove


Amanheço-me

na penumbra de Outono 
em dias de Verão
quando o sol do meio-dia 
ainda chora 
os vorazes dias da terra
alongando a sua ausência
nos espelhos de água 
onde se projectam emoções freudianas 
dos que se olham, 
largamente, 
em narcose acentuada.

Amanheço-me
em desejo do intenso sol 
projectando a vivaz alegria 
de uma vida simples e decantada.  

tags:
publicado por Menina Marota às 17:15
| comentar | Acompanhe-me
|

Sensibilidades...

Regresso

uma parte de mim

Sentidos

Bom Dia!

Sereinement...

Voláteis gaivotas

A hora do encanto...

Ouro negro

Amanheço-me

Poema sem nome

Pés na Areia

Reciclagem

Fragile

Sons diáfanos...

O vento da utopia

Momentos meus...

Rota da vida

Vida

O vento e o tempo.

Talvez

Bom Dia!

Sons do vento

Dizem

Olhos de Vida

Sentires

Oceano dos sentidos

Dádivas de amor

Sentires...

Da minha janela

Bom dia...

Almas Pretéritas

A minha alma anda aqui...