Segunda-feira, 23 de Dezembro de 2013

Voláteis gaivotas

Autor desconhecido



Voláteis gaivotas

no horizonte se desenham

na poética hondura do cintilar

da terra amena que o rio atravessa

e se perde no mar.

 

Imutáveis as palavras efémeras

que dos poetas provenham.

 

publicado por Menina Marota às 16:32
| comentar | Acompanhe-me
|
:
De batidasfotograficas a 25 de Dezembro de 2013 às 23:37
Gosto e sinto-me bem estar aqui a ler-te neste espaço azul. Bj
O meu blogue aqui esta dezatualizado por falta de tempo.
De Nilson Barcelli a 28 de Dezembro de 2013 às 17:44
A excelência da tua poética é uma constante.
Beijo, querida amiga.
De Marius Salgado a 3 de Janeiro de 2014 às 13:18
A tua poesia sempre tão bela e amada!!
Amei tudo! Poema, foto, música!!
Feliz ano novo querida amiga são os votos da família Salgado

Comentar

Sensibilidades...

Regresso

uma parte de mim

Sentidos

Bom Dia!

Sereinement...

Voláteis gaivotas

A hora do encanto...

Ouro negro

Amanheço-me

Poema sem nome

Pés na Areia

Reciclagem

Fragile

Sons diáfanos...

O vento da utopia

Momentos meus...

Rota da vida

Vida

O vento e o tempo.

Talvez

Bom Dia!

Sons do vento

Dizem

Olhos de Vida

Sentires

Oceano dos sentidos

Dádivas de amor

Sentires...

Da minha janela

Bom dia...

Almas Pretéritas

A minha alma anda aqui...