Quarta-feira, 2 de Junho de 2010

Suave carícia

Pintura de Olga Sinclair

 

 

Venço pensamentos
na suave carícia da meia-noite.
Tempo de paragem
numa madrugada serena.
Doce fragrância,
momentos diluídos
na paisagem de encanto
solitária
preenchida no vácuo da esperança.
Segunda vida que se repete
como a aurora que rompe
em cada amanhecer.

No horizonte do céu virtual,
esculturas de azul
- existir, viver, amar -
mais que palavras,
éticas, ideais para não esquecer,
equívocos que abrem feridas insondáveis,
viver o presente melhorando o futuro 
e dizer: não perco tempo,
minha alma está limpa
porque o crepúsculo
partilha dos meus sonhos 
e assim quero permanecer.

tags:
publicado por Menina Marota às 22:50
| comentar | Acompanhe-me
|

Sensibilidades...

Regresso

uma parte de mim

Sentidos

Bom Dia!

Sereinement...

Voláteis gaivotas

A hora do encanto...

Ouro negro

Amanheço-me

Poema sem nome

Pés na Areia

Reciclagem

Fragile

Sons diáfanos...

O vento da utopia

Momentos meus...

Rota da vida

Vida

O vento e o tempo.

Talvez

Bom Dia!

Sons do vento

Dizem

Olhos de Vida

Sentires

Oceano dos sentidos

Dádivas de amor

Sentires...

Da minha janela

Bom dia...

Almas Pretéritas

A minha alma anda aqui...